JUNTE-SE A MAIS DE 150.000 PRATICANTES NO MUNDO

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

É importante a compreensão de distinguir as artes marciais de competição, das artes marciais de guerra e a forma correta de desfrutar o treino.

Muitos se perguntam por que treinamos lentamente na Bujinkan. Eles criticam, dizendo que as verdadeiras artes marciais (“tratando-se das artes marciais esportivas”) são melhores porque tem combate.

Eles adoram o fato de que há sempre um vencedor e um perdedor. “Isso torna mais fácil saber quem é bom e quem não é”, dizem.

Eles estão certos! O esporte é uma ferramenta pedagógica fantástica, é um sistema perfeito para desenvolver seu corpo, seus reflexos e você deve fazer esportes até o final, ou seja, até que você esteja velho demais para competir.

E em que idade é isso? Eu diria que cerca dos trinta. Após os trinta, o que você faz pelo resto da sua vida se for esportista? Você desiste? Não, você treina artes marciais de verdade.

Encontro de Praticantes das Artes Marciais Ninja e Samurai da Bujinkan

Alguns pontos diferenciais entre as artes marciais de competição e artes marciais de guerra.

Esse problema com idade não existia em tempos antigos. Primeiramente, você dificilmente passaria dos cinquenta, o combate real garantiria isso por você. Em segundo lugar, no Japão Feudal, não havia esporte (o mesmo na Europa).

O esporte, como nós o sabemos, é uma coisa moderna criada após a segunda guerra mundial. Antes, era reservado aos nobres.

Por quê? Porque não precisavam trabalhar seis ou sete dias por semana para comer e, entediados, eles desenvolveram o conceito de esporte. O Marquês de Queensbury definiu algumas regras que ainda são válidas atualmente. O Barão de Coubertin reabriu os Jogos Olímpicos, mas isso foi apenas no final do século XIX. Antes o esporte era inexistente.

Nas artes marciais de competição os campeões de hoje perdem o título mundial em um ano, e recuperam no ano seguinte. Este não era o caso na batalha real, você morreria se perdesse a luta.

O que treinamos na Bujinkan é baseado na história. É o resultado do combate no campo de batalha. Como os vencedores foram capazes de transmitir o que funcionou na batalha, os nove sistemas de combate ensinados na Bujinkan reagrupa apenas as técnicas que foram testadas em luta real, e, para aprender essas técnicas, você precisa fazê-lo de uma maneira especial. Você tem que repeti-las lentamente.

Ao treinar no Japão com Nagato Sensei, você pode ouvi-lo dizer: “treine devagar, apenas pessoas estúpidas treinam rápido.”

Treinar lentamente permite que o corpo e o cérebro criem conexões específicas que melhoram nosso “kit de sobrevivência humana” com o qual nascemos. Para desenvolver essas novas habilidades, também é importante usar movimentos largos. Fazer movimentos largos ajuda a aprender corretamente.

Por causa da adrenalina correndo em nosso corpo, por causa da impossibilidade de pensar ou planejar qualquer coisa enquanto está preso no meio da batalha, somente seus reflexos podem salvá-lo. Se você desenvolveu novos reflexos treinando de forma espaçada e lenta, há uma chance de que você possa reagir adequadamente e superar seu atacante.

Talvez seja a hora de mudar seus hábitos no treinamento.

Créditos | Blog de Arnaud Cousergue: Shiro Kuma

Se deseja continuar sabendo mais sobre as artes marciais da Bujinkan, sua filosofia, história e tradição, técnicas, artigos de grandes mestres e tudo sobre defesa pessoal e as artes marciais ninja e samurai, não deixe de acessar também nossos conteúdos sobre Shuhari e Noguchi, Dialeto do Kihon Happo, Ninku versus Ninku, Kata – Não Copie a Forma, Hagakure – “Oculto pelas Folhas”, Zanshin e a Perfeição, Ninpo Ikkan e todos os outros artigos do site.

Também recomendamos fortemente a leitura sobre as escolas de artes marciais tradicionais japonesas ensinadas na Bujinkan Dōjō, bem como incentivamos baixar nossos e-books e inscrever-se em nossa Lista Vip para poder receber conteúdos exclusivos com prioridade.

Deixe um comentário